Os equipamentos de foodservice serão quânticos.

Quando se conferem as razões das atitudes tomadas, algumas vezes se descobre que decisões em contrário também dariam certo. Certamente foram informações de base que apareceram aos poucos e desencontradas. Tudo corre rápido no atual mundo físico & digital dos negócios, com as decisões num fluxo intenso. O que tinha que ser de qualidade de repente precisa ser urgente. Quando o prazo de entrega fica mais importante que o produto final, se pensa que a lógica está invertida, o que é um equívoco porque faz tempo que a lógica sumiu.

Por falta de uma nova identificação digital, algumas empresas tradicionais de equipamentos vem perdendo aos poucos seu mercado, mesmo com produtos de qualidade. Os compradores modernos, por exemplo, parecem nem ligar tanto para valores como durabilidade ou eficiência. O que importa é o show de cada novidade no ritual de compras, que segue em decisões repentinas e de acordo com as conveniências mais imediatas.

Para participar desse ritual, os fornecedores agora precisam ter marca derivada da sua constante presença de mídia, pelo menos nos sites por onde andam seus clientes. Para isso precisam ser empresas prioritariamente virtuais, com produtos de interesse, atitudes positivas e visual amigável.

No plano dessas relatividades, há lugar também para acertos, erros e correções de rota. Essas correções estão aos poucos se transformando numa nova ciência de negócios, com pesquisa, sensibilidade e reprogramações para cada público. No futuro os equipamentos ou sistemas de foodservice serão terminados no cliente e certamente ajustados em up grades periódicos.

Numa época em que ninguém mais entender o que está acontecendo e o velho foodservice se tornar um estudo de tradições, são os seus equipamentos quânticos que vão determinar nossas necessidades do corpo e da mente, para dosar com perfeição o que vamos ingerir nos nossos horários já bio-determinados. A era quântica já se vislumbra no horizonte, com todo o peso de sua grandeza e vamos alguns sentir saudades dessa nossa vidinha digital.

A experiência do restaurante Spicy em Boston, é o início de uma nova era, como pode-se verificar no link a seguir.

https://exame.abril.com.br/tecnologia/restaurante-de-boston-eua-tem-robos-que-substituem-o-chef-de-cozinha/

Compartilhe:
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Open chat