As surpresas de um restaurante Green

O Green Kitchen, ou somente Green, é um programa para restaurantes alinhados a práticas naturais, com um lado Green e um lado Sustentabilidade. O lado Green se preocupa com o que entra ao interior do restaurante, como ar limpo, água pura, alimentos orgânicos e pessoal treinado. O lado Sustentabilidade se preocupa com o entorno do restaurante, pelo tipo de ar, águas e resíduos que o restaurante devolve ao meio ambiente.

Em questões de projeto físico, a primeira diferença é a presença de uma estação para lavagem de copos de vidro e xícaras de louça, para uma operação sem plásticos ou descartáveis. E ainda mostra na ponta do lápis ser uma solução mais econômica, considerando-se os custos com a máquina lavadora, pessoal, energia, detergente e água. Com vidro e louça o serviço de bebidas tem dignidade e ajuda a manter os clientes saudáveis, ao menos mais distantes de bisfenóis e ftalatos.

Só por isso já bastaria haver uma cozinha Green, mas fica melhor ainda com um sistema de filtragem de água na entrada principal da cozinha, com uma bateria básica de três fases, filtros de 20 micra, 5 micra e carvão ativado. Para lactários e sondários há um filtros de osmose reversa para 01 micra. Uma água pura leva mais segurança as mamadeiras e ainda garante o sabor dos cafés, sucos, sopas, cozidos e pães. Diminui também as necessidades de diluição dos detergentes.

Para maior produtividade a qualidade do ar da cozinha e sala de lavagem precisa ser mais puro e filtrado, com insuflação e exaustão em equilíbrio, com coifas bem dimensionadas. Sem óleos de origem transgênica nas preparações, o odor dentro da cozinha melhora muito e a comida, além de mais leve, fica com cheiro de comida. Com esse conjunto o ar enviado ao exterior é menos agressivo e se recupera com facilidade. Com a separação do óleo usado, acondicionamento das gorduras animais e utilização de detergentes biodegradáveis, a qualidade das águas efluentes também se recupera na própria natureza.

O mesmo raciocínio poderia ser usado para resíduos orgânicos separados, mas os custos de seu recolhimento pelas prefeituras oneram bastante essa prática e agora ficaram comuns outras soluções com equipamentos de tratamento, compostagem ou sistemas de recolhimento controlado. Num restaurante Green evita-se a entrada de produtos tóxicos, plásticos, descartáveis e transgênicos. Desta forma todos seus resíduos ficam também biodegradáveis e recuperáveis pela natureza.

O projetos de estações de restaurante e fornecedores de equipamentos de exaustão, lavadoras e tratamento de resíduos podem ser encontrados no site cozinha365.com.br

Por fim, a riqueza maior do Programa Green é o seu profissional em ação, que fora de sua área de conforto, arrisca a carreira, emprego, perde noites de sono, mas tem seus rompantes e erra sem medo. São pessoas especiais, que vão além das mediocridades do dia a dia porque tem um plano de vida maior a seguir. O Green é apenas um pretexto para serem surpreendentes, com envolvimento de pessoas e criação de um sentido aos seus locais de trabalho. Um exemplo é a nutricionista Edilssa C D Lopes, juntamente com Alisson C S Gomes e Itamar Cabral Monteiro, da diretoria do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência do Pará, em Ananindeua, Belém, PA, que dão um show no vídeo que mostramos a seguir. https://youtu.be/bqB49PH-5XM

Compartilhe:
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Open chat